Brasil - 19/04/2018 93 visualizações

Empresas de construção conhecem obra da Construtora Impacto e enaltecem organização e qualidade - Por Débora Matos


Catolé do Rocha/PB

Empresas de construção conhecem obra da Construtora Impacto e enaltecem organização e qualidade

Obra do Villa das Flores está sendo referência em construção industrializada

O diretor presidente da Construtora Impacto, Henrique Côrtes e os diretores de Planejamento e de Obras, Marcus e Daniel Rolemberg Côrtes, receberam na terça-feira, 17, representantes de Construtoras e empresas fornecedoras de materiais de construção civil de Sergipe e de outros estados para conhecer a obra do Villa das Flores, condomínio localizado no Bairro Porto Dantas, em Aracaju.
Foram apresentados aos visitantes a eficiência na aplicação e organização do canteiro adotados pela empresa no processo de construção civil e que têm sido referência nacional. Logo, em seguida, os representantes percorreram o canteiro de obras e ficaram entusiasmados com a primeira torre pronta em apenas 11 semanas, organização, limpeza e todo planejamento da obra.

Para o diretor de Obras, Daniel Côrtes, a visita dos profissionais representa reconhecimento do trabalho desenvolvido pela Impacto. “É uma grande satisfação receber os colegas e parceiros que se deslocaram de outros estados para conhecer a metodologia que adotamos na obra há quatro meses e que tem sido referência. Isso só demonstra que nosso trabalho está sendo bem feito e reconhecido. Além disso, é gratificante saber que a obra da Impacto está na capa do convite do Encontro de Parede de Concreto em São Paulo”, pontuou.

“Estou encantada, pois estive aqui há quatro meses quando terminou a terraplanagem e início da primeira concretagem e o que vejo é uma organização linda, um canteiro de obra totalmente limpo, sem desperdício de material, que é primordial para o sistema industrializado. A obra está fantástica e estou maravilhada”, destacou a gerente da Coplas, Gisele Potada.

Na avaliação do gestor nacional da Astra, Cleverson Aislan Callera, a obra é um avanço na construção civil. “É uma obra muito industrializada. Percebi poucas pessoas no canteiro, economia de mão-de-obra, muita organização e celeridade, um verdadeiro avanço na construção civil”, pontuou.

“Temos visitado alguns empreendimentos no país que utilizam esse método construtivo para extrair a essência da produção de qualidade para habitações populares. É a primeira vez que venho à Aracaju e minha avaliação da obra é organização e ótimo layout”, disse o superintendente de projetos da empresa paulista HM Engenharia, Paulo Milan.

O diretor de obras da Construtora Celi, Carlos Roberto Barreto Gentil, elogiou o acabamento e parabenizou a empresa. “A obra tem uma excelente organização e, diante do que foi exposto, está cumprindo as metas que foram pré-estabelecidas. No tocante ao acabamento, posso dizer que o empreendimento tem os pré-requisitos que o mercado espera e está muito bem feito. A Impacto está de parabéns pelo resultado final, o que já esperava pelo nível da empresa”, enalteceu.

O sócio da Sygna Engenharia, Ary, atribui o sucesso da obra à organização e determinação de mudança do diretor-presidente. “A empresa optou por um sistema construtivo que tem um nível maior de industrialização, o que facilita e potencializa a competitividade. A organização do trabalho, vontade da empresa, determinação de mudança de Henrique Côrtes e a dedicação de toda equipe em assimilar e ter a disciplina de colocar tudo em prática àquilo que foi planejado e combinado são o grande diferencial da Impacto”, apontou.

O engenheiro Marcel explica um das técnicas que deu certo. “Com o sistema de parede de concreto conseguimos reduzir o prazo de conclusão de um prédio, período este significativo para a empresa. É um sistema fantástico, pois conseguimos em 11 semanas aprontar um prédio de quatro pavimentos, um tempo recorde. Se continuássemos com o método antigo a primeira torre ficaria pronta em oito meses e não 11 semanas”, ressalta.

Um dos pioneiros na engenharia em Sergipe e construtor de grandes obras na década de 50, João Machado Rollemberg demonstra entusiasmo com a técnica e rapidez do empreendimento. “Sou de uma época em que a construção civil não era avançada como hoje. Implantei o primeiro edifício de Aracaju em 1956 com 11 pavimentos, na época acreditavam que Aracaju não tinha solo bom, mas provei que poderia construir, lancei o projeto e tive sucesso, a exemplo de outras obras de minha autoria como o Hotel Palace. Vejo com muita alegria um grande passo na construção civil com novas tecnologias, equipamentos modernos e estrutura implantada no tempo recorde com precisão e pontualidade. Sessenta anos depois testemunho um grande avanço, como se fosse um vôo para a Lua”, disse.



Outras notícias